sábado, 23 de novembro de 2013

New York City: Washington Square Park

Este parque (ou praça) como você quiser chamá-la é um dos mais populares e interessantes de New York, não somente pela sua beleza com o seu famoso arco, a fonte central, os caminhos com muitos bancos e locais para jogar xadrez (mania novaiorquina nas praças), mas também pela a sua riquíssima história.

Ela é cercada por muitos prédio que pertencem a New York University (NYU), e talvez seja este o motivo que ela mantém esta aura nonconformista. Ela foi palco de da batalha ente os folksingers e a polícia pelo direito de tocar música na praça, episódio conhecido como Beatnik Riot. Também local de protestos de mais de 20.000 trabalhadores, dos quais 5.000 mulheres, em lembrança do incêndio na fábrica têxtil Triangle Shirtwaist no qual morreram 146 pessoas. Este incêndio expos a condições desumanas de trabalho das mulheres que lá trabalhavam. Este episódio é associado à criação do Dia Internacional da Mulher. As coisas estão mais calmas, mas não menos agitadas - um dos maiores comícios de Barack Obama foi realizado lá em 2007.

Mas o que você encontrará lá agora? Muitos turistas, naturalmente você está em NYC, mas muito mais que isto, pessoas curtindo piano ao vivo e outros tipos de performances, alguns protestos, entretanto mais civilizados, mesas para picnic, área para a criançada brincar, enfim, um ótimo ambiente para descançar e curtir o final de semana.

Para chegar lá desça na W 4th Street station, (trains A,B, C, D, E, F, M) mas não vá correndo para a praça. Duas paradas importantes: no Joe's Pizza para saborear uma das melhores slices in town, e a segunda, no the Cage, provavelmente a mais famosa quadra de basquete de rua dos EUA. O basquete é para não-profissionais, mas estes caras não são amadores - devido as dimensões reduzidas e a intensidade de como a partida é jogada, como muito contato físico e geralmente ignorando a linhas laterais, torna esta quadra uma verdadeira jaula.

Este post faz parte da série New York City: de graça (for free) com muito mais atrações gratuitas.




Washington Square Park no inverno


Washington Square Arch






alguns protestos básicos



a famosa fonte


faça uma pausa para escutar o concerto de piano



The Cage - para não-profissionais que não são amadores

terça-feira, 19 de novembro de 2013

New York City: Times Square

Vale a pena visitar a Times Square? Não é um local somente para turistas, quero dizer turistas comuns, não os descolados? Diríamos que seria semelhante à ir à Berlim e não visitar a Unter den Liden, visitar Barcelona e não ir à Las Ramblas, ou aqui mais perto, ir a Buenos Aires e não passar pela Florida. Você deve ter mais exemplos próprios deste tipo. Once in a lifetime, pelo uma vez na vida, afinal ela é atração turística mais visitada no mundo. Veja no  link da revista Travel + Leisure as 10 mais. Mas agora se você me perguntar, se vale a pena se hospedar lá perto - definitivamente não.

Um pouquinho de nossa atração. Ela é uma praça com muitos, muitos turistas mesmo. Muitas lojas 'de marca', restaurantes, vendedores ambulantes, alguns Mickeys, vários Homens-Aranha, algumas versões do Naked Cowboy, uma boa quantidade de malucos, juntos num lugar transbordando de neons e luminosos. Mas acredite, pelo menos uma vez, é divertido.

Você irá encontrar também o TKTS, um local para compra de ingrressos de musicais e teatros com descontos.

Se você tiver sorte pode encontrar coisas inesperadas por lá.  Dia 10 de outubro, o Sir Paul McCartney deu uma tuitada e disse que estava indo para TS para um show surpresa.

Para finalizar dê uma espiada, ao vivo, o que está acontecendo lá.

Este post faz parte da série New York City: de graça (for free) com muito mais atrações gratuitas.


Times Square



sempre muita gente



Terrell Brown - CBS




domingo, 17 de novembro de 2013

New York City: Central Park

O Central Park é uma das marcas registradas de New York, com 35 milhões de visitantes anuais é o parque urbano mais visitado dos Estados Unidos. Este parque é gigantesco com muitas coisas para ver, fazer ou, se você quiser, para relaxar e não fazer nada.

Vamos a uma pequena lista de atividades no parque: futebol, basquete, basebol, hockey, volei, patinação (incluse no gelo), andar de bicicleta, tênis, pescaria, xadrez, isto como esporte.
De caráter mais contemplativo, memoriais, jardins, estátuas, monumentos, fontes, playgrounds (contemplativo para os pais, mas não para as crianças), diversos tipos de animais e pássaros. Há também espaços para shows, músicas, e até mesmo Shakespeare. 

E se bater fome sempre há muitos lugares para comes/bebes - não só restaurantes, mas também carrinhos de cachorro-quente, sorvetes, amendoim e outras goluseimas. Visite o site oficial para maiores informações sobre things to see e things to do.

Dica final, não tente visitá-lo (inteiro) num  só dia - lembre-se que ele é de graça, portanto planeje a sua visita e vá varias vezes, dividindo-o por partes. Veja o mapa  ou mapas  para você ter uma ideia melhor.

Este post faz parte da série New York City: de graça (for free) com muito mais atrações gratuitas.








charretes - tô fora!












Conservatory Garden



música boa prá cachorro



Strawberry Fields - memorial para John Lennon



um banco que não é qualquer


Reservoir 

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

New York City: Grand Central Terminal

Se fosse somente pela arquitetura já valeria a pena uma visita ao Grand Central Terminal, segundo a revista Travel+Leisure esta é a 10.ª atração turística mais visitada no mundo. Ok, você está curioso para saber as primeiras? Veja no link da revista as 10 mais visitadas, lista atualizada, bem como os detalhes destas escolhas.

Voltando à nossa atração, ela muito mais que uma estação de trem, metrô e ônibus. Entre no site oficial e veja o que ela tem - muitos lugares para comer, deste o Oyster Bar & Restaurant, passando pelo Michel Jordan's The Steak House NYC até o Junior's Bakery e o Magnolia  Bakery - são mais de 35 opções. Para compras são 65 lojas e não esqueça de visitar o mercado, com produtos de altíssima qualidade.

E por falar em Oyster Bar, no hall, perto da sua entrada, com certeza, você verá pessoas no canto dos arcos falando 'sozinhas' com a parede - na verdade ela está falando com a pessoa do outro lado do arco. Parece meio estranho, mas funciona, e as pessoas realmente fazem isto - é bem divertido. Este lugar é conhecido como a 'whispering gallery', ou seja, a galeria dos suspiros, portanto pode falar baixinho que a pessoa do outro lado vai ouvir.

A parte maior do terminal, que você já deve ter visto em dezenas de filmes, é o Main Concourse, onde há o famoso relógio, mas não deixe de olhar para cima para o teto astronômico.
Caso você queira marcar um encontro com alguém, faça como os americanos e diga: Meet me at the clock. (me encontre no relógio)

A Grand Central Terminal fica na 42nd Street e Park Avenue.

Este post faz parte da série New York City: de graça (for free) com muito mais atrações gratuitas.



Grand Central Terminal












the whispering gallery - fale na junção dos arcos
com a pessoa do outro lado





Meet me at the clock