sexta-feira, 30 de junho de 2017

Onde estão as fotos?

Você provavelmente deve ter notado que alguns posts estão sem as fotos correspondentes. De agosto/2011 a maio/2014 eu utilizei um site para a hospedagem de minhas fotos para a publicação no The flâneur.

Este site, o Photobucket, sempre foi um site gratuito para o armazenamento de fotos, sendo assim, milhares de pessoas utilizavam os seus serviços de hospedagem, afinal era isto que o site declarava - gratuidade. Recentemente eles mudaram esta política e começaram a cobrar por esta hospedagem. O problema é que esta cobrança não é só para novos usuários, mas  também para todos que já utilizaram este serviço. Uma mudança nas regras do jogo no meio do jogo.

Resumindo, caso eu queira minhas fotos de volta no blog, eu terei que pagar uma anuidade de U$399 (dólares mesmo).

My answer: NO WAY

Eu tenho um backup de todas estas fotos e irei postá-las novamente, aproximadamente 700 fotos.

Em breve, mas não tão breve,  The flâneur estará normal novamente.


Photobucket - que furada

domingo, 25 de dezembro de 2016

Sevilha: onde ficar

Imagino que você ja deve ter lido um pouco sobre hospedagem em Sevilha. Não obstante, algumas dicas extras sobre a cidade são importantes. Sevilha é uma cidade de temperatura extremas, de -5°C a mais de 40°C, ou seja, o verão, com o seu pico em julho, é extremamente quente - se der, planeje a época para visitá-la.

Outros pontos a serem considerados são os dois grandes eventos da cidade, a Semana Santa e a Feria de Abril de Sevilla, pois são quando a cidade fica realmente lotada, e, naturalmente, os preços dos hotéis sobem bastante. Caso planeje visitar a cidade durante estes eventos, faça as suas reservas de hotel com antecedência para conseguir boas tarifas.

Onde ficar? 
Sevilha teve um período de domínio mouro de mais de 500 anos e depois, a volta dos cristãos e uma grande migração judia. Todo este período histórico marcou a cultura e costumes da região, e, em especial, a arquitetura, sendo o centro histórico o seu maior exemplo - onde temos ruas estreitas e casas juntas para uma proteção natural contra as altas temperaturas. Além de um design e decoração peculiares. 

Sendo assim, o Centro Histórico (Casco Antiguo) é onde você deve ficar, e mais especificamente no Barrio de Santa Cruz. Hotel Goya, neste bairro, foi o escolhido, ele está a poucos metros da Catedral, La Giralda e de fácil acesso, a pé, as demais atrações turísticas da cidade. Para completar, muitos bares,  restaurantes e cafés na região e, finalmente, muito próximo a um dos melhores lugares para se apreciar um ótimo espetáculo de Flamenco ( postagem em breve). Há muitos hotéis semelhantes na região, mas minha recomendação pelo o Goya, em particular, foi não só pela localização, qualidade e preço, mas também pelo excelente atendimento da recepção. 

Para maiores detalhes sobre o Hotel Goya, visite o site oficial . Fiz minha reserva pelo Booking.com, em março/16, por três noites, para um casal, paguei no total 165 euros, incluindo o imposto de 10% (IVA).



Hotel Goya - ruas apertadas,
entrada discreta




no fundo, a porta de entrada




área de estar para o elevador




quarto duplo



banheiro


Catedral e La Giralda são
muito perto



tem até uma expressão para
quando está muito quente

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Música nas ruas de Londres

Na realidade a música está em todos os lugares - metrô, ruas, pontes, praças, feiras, Londres respira música. São os músicos de rua (buskers). E o melhor, é de graça.








sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Londres: Houses of Parliament

O Parlamento inglês é um dos lugares icônicos não só do Reino Unido, mas de todo o mundo. Lugar de grandes decisões mundiais, palco de acontecimentos históricos, deste a Conspiração da Pólvora quando Guy Fawkes tentou explodir o Parlamento, o qual inspirou o ótimo filme V for Vendetta, até decisões mais recentes como o Brexit.

The Houses of Parliament é a sede do governo britânico e ela é composta de duas casas,  House of Lords e House of Commons. Para mais detalhes veja o link da Wikipedia, em português, ou todos os detalhes, e são muitos, no link do próprio Parlamento.

Como chegar:
Segue o mapa para a sua visita à Houses of Parliament. Minha recomendação, caso você vá de metrô, é descer na estação Westminster, o impacto visual de sair na rua e dar de encontro com ele é indescritível. Sua entrada será, provavelmente, a n.º 8 do mapa.

Segurança:
Como de costume evite levar o óbvio, canivete, tesouras, tinta spray, cadeados, enfim o de sempre. Veja o guia visual dos objetos proibidos.

Fotografias:
Para os visitantes é permitido fotos no Westminster Hall and St Stephen’s Hall, também na área do New Palace Yard o qual proporciona vistas da Elizabeth Tower. Não se preocupe, há sinais avisando onde é permitido e você pode, naturalmente, perguntar.

Tipos de visitas (tours):
Há diversos tours, os mais básicos são com guia ou com audioguia. Minha recomendação é opte pelo audioguia, você poderá escolher a língua, têm português do Brasil, e fará a visita no seu próprio ritmo. Além disso, poderá ouvir as explicações quantas vezes quiser. Este é o self-guided tour que leva de 60 a 75 minutos.

O que você visitará:
Westminster Hall
Norman Porch
Queen's Robing Room
Royal Gallery
Prince’s Chamber
Lords Chamber
Central Lobby
Members’ Lobby
No Lobby*
Commons Chamber
St Stephen’s Hall


Preço:
para adultos £18.50,
para crianças (até 15 anos): uma criança de graça para cada adulto com ticket, as demais crianças £7.50 cada.
Veja todos os detalhes no link  Houses of Parliament audio tours.

Como comprar:
Você pode comprar no local, mas eu recomendo a compra  online, do Brasil. Selecione as opções e depois selecione a data e horário. Você pode inclusive imprimir os tickets.


Big Ben (que na realidade é o nome dos sinos),
 o lugar é a Elizabeth Tower


estátua de Oliver Cromwell (Cromwell Green),
 ao lado do Westminster Hall 

Westminster Hall




sábado, 4 de junho de 2016

Londres: Sky Garden

Esta é mais uma das boas atrações gratuitas de Londres. Você terá uma visão privilegiada da cidade sem gastar um penny por isto.  Muitos prédios foram aparecendo na skyline londrina, sendo o  20 Fenchurch Street (Sky Garden) uma das opções para visitar.

20 Fenchurch Street é o endereço e nome do edifício, entretanto  ele é mais conhecido como Sky Garden, que é o local onde você terá esta visão privilegiada. Lá no topo há um bar/café e também um restaurante, mas não há necessidade de consumir nada  para visitá-lo.  Para a sua visita agende no site do Sky Garden um dia para ela. Planeje com bastante antecedencia, pois as vagas acabam super rápido.

Antes que você pergunte, há também The Shard que é mais alto, mas que tem um pequeno detalhe, você pagará 25,95 libras para visitá-lo.

Devido  ao seu formato concovo o 20 Fenchurch Street, durante o verão, com a incidência dos raios solares, o reflexo e calor produzido (que chegava à mais de 100°C) afetava as pessoas e lojas na rua, chegando a derreter os tapetes das lojas ou danificar a pintura dos carros. Don't worry, o problema já foi resolvido.

Dica final: não esqueça seu smartphone ou máquina fotográfica.



Este é o Gherkin, cujo o dono é o Banco Safra



centralizado The Shard, à direita Sky Garden




20 Fenchurch Street (Sky Garden)




o walkie-talkie - como também é conhecido,
devido ao seu formato - tem 160 metros de altura




área do bar/café - fique a vontade para sentar,
não há necessidade de consumir




parte externa




parte mais acima, onde está o restaurante


















olha o Shard do outro lado do Thames